Prêmio de Jornalismo Ambiental define comissão julgadora

23/09/2014 | 10h38

Profissionais vão analisar os 89 trabalhos inscritos

A comissão julgadora do Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental está formada. Nesta terça-feira, dia 9, o grupo de profissionais esteve reunido para iniciar as atividades de análises dos 89 trabalhos inscritos nas categorias de jornalismo impresso, telejornalismo, fotojornalismo, webjornalismo, radiojornalismo, além do Prêmio Braskem de Jornalismo Universitário.

O júri é formado por representantes da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes-RS), do Sindicato dos Radialistas, da Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul (Arfoc-RS) e do Sindicatos dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SindJors). O grupo é presidido pelo diretor cultural da ARI e coordenador do setor de concursos da entidade, Antônio Goulart.

Cada jurado terá 30 dias para fazer seus levantamentos e apontar seus escolhidos. Em 7 de outubro, a comissão se reunirá em um hotel para a decisão final dos vencedores de cada categoria. Os critérios a serem levados em conta deverão ser adequação ao tema, objetividade e correção, criatividade e abrangência da matéria.

A primeira edição gaúcha do Prêmio de Jornalismo Ambiental, realizada pela Abes/RS, ARI e Braskem, tem por objetivos reconhecer trabalhos jornalísticos, com temática positiva sobre o tema; estimular os estudantes a desenvolverem matérias ligadas à temática; e homenagear o legado e memória do maior divulgador e disseminador da preservação ambiental no Brasil, José Lutzenberger. Outras informações podem ser obtidas através do site www.premiojornalismoambiental.com.br.


<< voltar para Notícias